What's that?  

O passado das ciências como história

 
Apresentação
Investigação
Pós-graduação
Divulgação
Publicações
Textos disponíveis
Links
Contacto
 
   
   

Kostas Gavroglu,
O Passado das Ciências como História,
Colecção História e Filosofia da Ciência nº 11,
Porto, Porto Editora, 2007
ISBN 978-972-0-45091-3

Ver o índice...

A História das Ciências é a história de todos aqueles que se esforçaram por investigar e compreender a estrutura e o funcionamento da natureza. As ideias, as técnicas e as práticas que imaginaram para investigarem a Natureza, as entidades, os princípios e as leis que descobriram, as múltiplas instituições que criaram, as aplicações que planearam - todas essas coisas modelaram as ciências. Mas os homens também moldaram a ciência com as suas diferentes concepções ideológicas, filosóficas, estéticas, religiosas e políticas, bem como com as suas diferentes práticas sociais. Por isso, a História das Ciências tem por objecto a ciência enquanto fenómeno social e cultural, e os historiadores da ciência investigam a sua história, tendo em consideração que particularidades locais, temporais e culturais desempenharam um papel importantíssimo na formação tanto do discurso científico, como da função social da ciência.

Este livro trata de alguns dos problemas teóricos e práticos que ocorrem na História das Ciências:

  • o tipo de perguntas que são colocadas;
  • os tipos de fontes e o carácter do material de arquivo que é utilizado, no sentido de dar respostas às perguntas;
  • a questão de saber em que é que consiste um problema histórico a resolver;
  • as diversas maneiras de imaginar soluções para os problemas;
  • os processos de formação dos argumentos que fundamentam pontos de vista concretos;
  • a questão de saber em que consiste a interpretação e quais são os critérios com os quais se julga a sua validade;
  • as características das diversas tendências historiográficas etc.

No livro, são igualmente analisadas ideias como as de consenso dos membros de uma comunidade científica. São apresentados muitos exemplos tirados da História das Ciências e são examinados de maneira pormenorizada diversos aspectos da revolução científica dos séculos XVI e XVII. O livro contém, ainda, uma extensa bibliografia.

 

Índice

 Prólogo

1. ELEMENTOS DA HISTÓRIA DA HISTÓRIA DAS CIÊNCIAS

Que é a História das Ciências?

A perigosa sedução do positivismo

Elementos da história da História das Ciências

O primeiro período: A História da Ciência como fiel descrição dos factos

            O mundo maravilhoso das matemáticas antigas – Paul Tannery

            A Idade Média não foi «idade média» – Pierre Duhem

            O visionarismo como profissão – George Sarton

O segundo período: A importância da Revolução Científica dos séculos XVI e XVII

            As abordagens sociológicas: Merton, Zilsel, Hessen, Bernal

            Alexandre Koyré – A História da Ciência como História das Ideias

O terceiro período: Episódios no processo de construção da identidade institucional e cognitiva da História da Ciência

            Os historiadores, os cientistas e os historiadores das ciências: Pressupostos e requisitos necessários ao tratamento profissional da História das Ciências

 

2. OS HISTORIADORES DAS CIÊNCIAS E AS SUAS QUESTÕES

Questionando o passado: a importância de formular questões

Astrónomos na Antiguidade

     Universidades na Idade Média

     A publicação da Encyclopédie no século XVIII

     A Termodinâmica do século XIX

     A Mecânica Quântica do século XX

Narrando os factos e interpretando os acontecimentos

O impasse da abordagem anacrónica

Traçando o quadro da Revolução Científica dos séculos XVI e XVII

            As questões

            A nova  filosofia da natureza

 

3. HISTÓRIA: O ENCONTRO DOS HISTORIADORES COM OS DOCUMENTOS

     As fontes primárias e as diferentes espécies de documentos

     O silêncio e a verbosidade dos documentos

     Três casos singulares

            Os documentos das ciências da Antiguidade

            Galileu e os acontecimentos de 1616

                      Os documentos

            A alquimia e os escritos alquímicos de Newton

 

4. A CONSTRUÇÃO DO PASSADO E OS HISTORIADORES DAS CIÊNCIAS

     Os acontecimentos verdadeiros e os factos históricos

     Passado e futuro: singularidade e pluralidade

     Hábitos e formas de vida

     O papel dos historiadores

     Causas, correlações e coexistências

 

5. UM INOPORTUNO PROBLEMA HISTÓRICO DE CONSEQUÊNCIAS HISTORIOGRÁFICAS BENÉFICAS: O PROBLEMA DA PRIORIDADE

     Prioridades e história

     Copérnico, Aristarco de Samos e a ideia heliocêntrica

     Descobertas simultâneas e o caso da conservação da energia

 

6. A COMUNIDADE CIENTÍFICA: PROCESSOS DE LEGITIMAÇÃO, CONTROVÉRSIAS, CONSENSOS

     Comunidade científica

     Controvérsias científicas

     A formação da Química moderna por Lavoisier: Consenso e legitimação

     Problemas filosóficos e a História das Ciências

  

7. UMA CATEGORIA HISTORIOGRÁFICA EXTRAORDINARIAMENTE ÚTIL: A PRÁTICA CIENTÍFICA

     A Estrutura das Revoluções Científicas de Thomas Kuhn

     As múltiplas faces da prática científica

     Laboratórios: Espaços de práticas multiformes

 

8. COMENTÁRIOS A CERTOS ASPECTOS DO CONSTRUTIVISMO SOCIAL

     A contingência dos desenvolvimentos científicos

     A respeito da língua

     Que não esqueçamos: As necessárias diferenças

     Bibliografia

     Indice Remissivo

 

> Encomendar Porto Editora

 

> Série História e Filosofia das Ciências
> Série Ciência e Iluminismo

 

     
       
       
       
       
           
  Última actualização 20-09-07